Artigos e Cronicas

24/09/2018 08:37

Porque sou evangélico e de esquerda na política

 

A escrita desse artigo, adianto, não visa convencer ninguém sobre nenhuma supremacia de minha religião e de minha ideologia sobre quaisquer outras


Antonio P. Pacheco*



Sou Cristão Evangélico (Batista) e sou anti-capitalista. Sou socialista e sou republicano democrata. Sou de esquerda sim e acredito na família como esteio das sociedades saudáveis e como um projeto de Deus para a humanidade. Sou petista e sou contra a corrupção em todas as suas formas e a todo tipo de violência e preconceito.


Ao contrário do que se tornou senso comum dentro dos meios evangélicos, agnósticos e da militância de extrema esquerda, não existe nenhuma contradição em ser cristão evangélico e militante de esquerda. Em mim, não há qualquer conflito seja religioso/espiritual, intelectual, moral ou ideológico. Sou todo coerência.


Neste artigo, explico de forma didática porque não há qualquer dicotomia entre minha confissão de fé e minha militância política ideológica. A escrita desse artigo, adianto, não visa convencer ninguém sobre nenhuma supremacia de minha religião e fé  e de minha militância politico-ideologica sobre quaisquer outras. São minhas convicções pessoais, são a minha visão de mundo e de vida. São minhas exclusivas conclusões baseadas em estudos e experiências cotidianas.

O objetivo é simples: demonstrar aos cristãos evangélicos que é sim possível crer em Deus, cumprir seus mandamentos, viver a santificação e amar ao próximo como a si mesmo de forma proativa como Jesus ordenou, neste tempo e neste lugar, usando como o próprio Cristo usou, as relações pessoais, a vida social e política para praticar a Justiça, a Compaixão, a Solidariedade. E mostrar também aos que se proclamam ateus, agnósticos, materialistas, que não existe qualquer conflito entre a fé evangélica e a razão político-sociológica, a militância e a filosofia socialista marxista. Na verdade, há muito mais conexões entre o socialismo e as práticas da vida cristã evangélica do que admitem pastores ortodoxos e dogmáticos  e os teóricos materialistas agnósticos.


“Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam (Mt. 6.20) ”. Sendo Cristão Evangélico, por princípio de fé, sou contra a acumulação material de riquezas e da idolatria a Mamom, o deus dinheiro, cujos adoradores naturalizam a exploração, a escravização, o jugo opressor sobre o próximo para garantir seus ganhos, seus lucros, luxos e extravagâncias. Logo, por princípio da minha fé cristã evangélica,sou contra toda forma de governo capitalista, que legitima a opressão, a exploração, o jugo e a perpetuação da miséria da maioria em favor de uma minoria de privilegiados.


“Dai a César o que é de Cesar, e a Deus o que é de Deus (Mt 22.21)”. Sou socialista marxista-leninista por consciência de classe, estudo e amadurecimento político. A Deus presto meu culto pessoal e íntimo, procuro viver segundo seus mandamentos e propagar as Boas Novas da Salvação do Espírito para a eternidade na presença d'Ele. Enquanto ser humano ainda na terra, sou democrata republicano por princípio filosófico por compreender que a Democracia, que permite a alternância de nomes entre os dirigentes/gestores públicos, é o sistema mais eficaz de legitimação exercício do Poder Político pela maioria dos cidadãos de um país e porque entendo que a República é a forma criada pelo homem para a organização e união mais democrática, equilibrada e justa das regiões que compõe uma Nação. A Deus o que é do Espírito. Aos homens, o que é dos homens.


“Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores [O judeu, o levita ou o samaritano?] (Lc 10.36)”. Sou de esquerda em minha visão de mundo, pois alinho-me com todos aqueles que são perseguidos, dos famintos, os que sofrem opressões, são rejeitados, ignorados, que buscam a Justiça Imparcial, o respeito à sua individualidade e cidadania, que almejam a liberdade e o respeito à sua dignidade, a igualdade econômica e de oportunidades, que combatem o preconceito às minorias étnicas, de classe, cultural, sexual e religiosa. E sou a favor da preservação da família por entender que é no seio familiar – seja ele tradicional, heterodoxo ou multi-constitucional – que as sociedades forjam laços fundamentais para a sobrevivência da espécie humana e aprendem o respeito mútuo e para com as diferenças e idiossincrasias de cada um, respeito sem o qual, é impossível a existência e a manutenção de uma nação, de um povo, de um Estado livre, democrático, civilizado.


Pratico o bem sem olhar a quem, respeito ao próximo, defendo e ajudo o mais fraco, me oponho às injustiças. Prezo a família nuclear original, que entendo ser o modelo original dado pelo Criador, mas de forma alguma rejeito as famílias heterodoxas contemporâneas como as Monoparental (mãe ou pai solteiro); as Multiparental, composta, pluriparental ou mosaico (composta por membros provenientes de outras famílias); as Parental ou anaparental (todos possuem vínculo sanguíneo); as Eudemonista (união de indivíduos por afinidade); as Homoafetiva; as Homoparental (família homoafetiva com a adoção de filhos).


Não cabe a mim julgar as razões de Deus ao não impor limites às escolhas humanas. A sabedoria divina é inalcançável e a liberdade e o exercício do livre arbítrio são sagrados. Aos homens cabe apenas aceitar o direito de cada um fazer suas próprias escolhas. Deus nos fez dotados de liberdade, do livre arbítrio porque nos quer livres, que o amemos de coração e alma, e não que sejamos robôs, bonecos sem vontade própria, todos iguais no ser, fazer, viver.  Pode-se até advertir e admoestar o próximo para as consequências das escolhas más e contrárias aos ensinos de Deus nesta e na vida eterna, mas nunca, em hipótese alguma, impor aos outros o que quer que seja. O juizo compete somente ao Pai Eterno.


“Haverá tempos críticos, difíceis de manejar. Pois os homens serão amantes de si mesmos,[...] sem afeição natural. (2Tm. 3.1-3”. Por fim, sou petista por opção lógica, ética, moral e ideológica. Sou partidário do PT por ser o partido político que, de fato, empunha desde a sua fundação, as bandeiras da igualdade de classes, de direitos entre todos os cidadãos brasileiros, do Estado de Bem Estar Social, de Democracia Popular Soberana, da Reforma Agrária e Reforma Urbana, do Desenvolvimento com Justiça Social e Econômica, da Prioridade ao Cuidado com as Pessoas em em vez do “Mercado de Capitais”, da Educação e Saúde de qualidade para todos, da preservação do meio ambiente, da Soberania Nacional acima dos interesses geopolíticos dos Estados Unidos e Europa, da Independência e Autossuficiência em tecnologia, produção e exploração das nossos recursos naturais (petróleo, minérios, agropecuários, florestais, marítimos, energéticos, industriais,etc), do fortalecimento das instituições (Judiciário, Ministério Público, órgãos de controle externo, do combate legítimo e imparcial da corrupção na política e órgãos públicos de todas as instâncias,  das liberdades individuais do cidadão, dos direitos humanos.

A política é feita por homens, homens são pecadores e falhos. Não há perfeição nas coisas feitas pelo homem. Só Deus é perfeito, imaculado, não erra e não pratica injustiça. Há  bons e maus no PT, há honestos e desonestos em todos os partidos políticos, tal qual os há no pastoreio das igrejas, nos ministérios dos templos. Quem vai  separar o joio do trigo é o dono da seara na plebitude do seu tempo.

Como Cristão que ama ao seu próximo como ele é, e sendo humanista que acredita que a Vida é Dom de Deus e o Bem Mais Precioso do Universo, sou contra qualquer violência, seja de natureza psíquica, seja física, sou contra o armamentismo, a discriminação por sexo, a supremacia masculina sobre as mulheres, a opressão e perseguição aos homossexuais, os preconceitos étnicos, de religião, de classe social, a perseguição religiosa, a criminalização dos dependentes químicos, a execução sumária de suspeitos ou acusados de crimes pela polícia, a censura de pensamento, de expressão.

Infelizmente, muitos irmãos de fé cristã evangélica consideram incompatíveis sua crença com os ideais “de esquerda” e, contaminados  pelo preconceito e pela propaganda manipulada pela ideologia capitalista, baseados  em distorções históricas e episódios isolados de fracassos governamentais, assumem posturas ideológicas fascistas, criminosas, ditatoriais, segregacionista, xenófobas e violacioniatas dos direitos fundamentais do ser humano  sob falso pretexto de defender e preservar sua "liberdade" de fé, seus dogmas morais, seus valores éticos (impregnados de hipócrisias) tradicionais conservadores.

Reputo tal posicionamento a dois fatores: ignorância pura e simples, notadamente entre aqueles de origem humilde e com baixa formação escolar/educacional; e em segundo a desonestidade intelectual e imaturidade espiritual da maioria daqueles que tem acesso à formação educacional escolar e meios de informação.


Aos primeiros, não me afeta em nada suas críticas despropositadas, carregadas de enganos, desinformação e incapacidade de discernimento. Em relação à estes, sinto compaixão, oro por eles e, se tenho intimidade e oportunidade, busco dar-lhes informações para ajudá-los a superar suas limitações involuntárias de conhecimento para que possam ampliar sua compreensão do mundo e dos fatos políticos, e o resto, esqueço.


Já os discursos e julgamentos falso moralistas e sentenças sumárias lançadas pelo segundo grupo me causam indignação, tristeza e revolta. Sinto indignação pela evidente falta de escrúpulos e hipocrisia que exercitam sem pejo algum, dando vazão aos seus instintos mais sórdidos, seus preconceitos e até desvios de caráter pessoais travestindo-os de “preceitos morais e religiosos” que nada tem de lastro na Palavra de Deus, a Bíblia, ou pior ainda, utilizam-se desta de forma deturpada, de hermenêuticas e doutrinas heterodoxas para escorar suas posições, sua agressividade, sua soberba e orgulho.


Sinto tristeza por ver como a Palavra de Deus não consegue frutificar nos corações e mentes deste irmãos que amo em Cristo Jesus, mas que mesmo depois de mergulhados nas águas, ainda trazem nas mentes e almas o véu da natureza pecadora que lhes impede de sentir a autêntica compaixão, o amor original, a tolerância e a solidariedade ensinados pelo Mestre e transmitidos pelo Santo Espírito. Deixam-se dominar pelo Espírito do Acusador, julgam,condenam e sentenciam e, se lhes permite, executam com prazer e em dobro a pena.


E sinto revolta por não ter o que fazer diante da falta de argumentos capazes de convencê-los sobre o equívoco de seu comportamento, de suas ideias e de suas posições. Então, só me resta aceitar o que o apóstolo Paulo escreveu na carta aos Efésios, capitulo 4, versículo 18: "eles estão  obscurecido no entendimento e separados da vida de Deus por causa da ignorância em que estão,devido ao endurecimento de seus corações." Por iss sigo o meu caminho buscando as pegadas de Cristo para não perder a direção.

*Antonio P. Pacheco é Cristão evangélico, discípulo de Jesus Cristo, o único e verdeiro Messias, cidadão do Reino de Deus que congrega em uma igreja Batista da CBB em Cuiabá -MT, brasileiro, socialista e militante fundador do Partido dos Trabalhadores


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo