Estadual

ELEIÇÕES SEGUNDO TURNO 23/11/2020 12:44

Abílio desce o nível da campanha ao acirrar ataques à Emanuel

Campanha de Abílio Júnior desce o nível e intensifica ataques contra o prefeito Emanuel Pinheiro nesta reta final do segundo turno em Cuiabá

Da Redação

A campanha eleitoral do segundo turno iniciou a última semana com uma guerra de acusações entre os candidatos Abílio Júnior (PODE) e Emanuel Pinheiro (MDB).  O baixo nível do embate pode ser medido pela virulência explicita dos ataques, notadamente, disparados pela campanha do candidato Abílio.

Em seu programa desta segunda-feira, 23, Abílio Júnior (Podemos), exibiu um áudio supostamente de autoria de uma prima do prefeito Emanuel Pinheiro. No áudio, Miriam Pinheiro, prima de Emanuel Pinheiro, conversa com uma ex-funcionária da Prefeitura de Cuiabá pressionando para que servidores do município façam a campanha de reeleição do prefeito. Abilio acusa Pinheiro de fazer uma gestão na base da perseguição aos servidores.

Abílio e Wellaton subiram o tom dos ataques à Emanuel Pinheiro, baixando o nível da campanha para tentar reduzir vantagem nas pesquisas mantida pelo prefeito

 

 

 

 

 

Em uma entrevista à uma rádio da capital, o vice na chapa de Abílio, o vereador Felipe Wellaton (CID) também disparou ataques e acusações ao prefeito e seus apoiadores e eleitores. "Quem vota Emanuel Pinheiro não é eleitor, é cúmplice. Caiu dinheiro do

paletó. Há três delações: José Riva, Sílvio Corrêa e Silval Barbosa. É MDB. São quatro secretários afastados, um preso”, afirmou Wellaton.

O prefeito Emanuel Pinheiro, por sua vez, tanta manter um mínimo de racionalidade e serenidade para garantir um bom nível em sua campanha, mas não deixou sem respostas os ataques recebidos ao longo do fim de semana.

Em seu programa eleitoral desta segunda,Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que seu adversário,Abílio Junior, montou uma aliança com objetivo de promover o "desmonte" do funcionalismo público na Capital e que o candidato do Podemos é uma "marionete e bibelô" de interesses privados.

Para comprovar a afirmação, o programa exibiu um trecho de uma declaração dada por Abílio afirmando que, caso seja eleito, vai demitir ao menos 3 mil servidores da prefeitura.

Para demonstrar que seu apoio vem de bases sólidas e que suas propostas tem a confiança dos trabalhadores e servidores públicos, Pinheiro mostrou ainda depoimentos de sindicalistas, servidores públicos e eleitores favoráveis a sua reeleição ao cargo de prefeito de Cuiabá.  “Não podemos deixar que um grupo que é contra as mulheres, contra as minorias, um grupo da intolerância, possa querer desbancar avanços na sociedade cuiabana. O nosso adversário se transforma num bibelô, numa marionete dos interesses privados", afirmou Emanuel.

O prefeito disse ainda que as razões para que Abílio tenha o apoio de políticos como o governador e a primeira dama, Mauro e Virginia Mendes, o ex-prefeito Roberto França e até Gisela Simona, sabidamente influenciada pelo advogado e empresário Euclides Ribeiro, candidato derrota ao senado, é que ele será facilmente "teleguiado" se ganhar a prefeitura cuiabana. 

"Querem nos tirar a todo custo da Prefeitura porque não somos meninos de recados, porque não somos marionetes, porque queremos o apoio do povo cuiabano. E queremos a população ao nosso lado”, afiançou Emanuel Pinheiro.

 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo