Nacional

FRAUDE 08/10/2019 16:33

Gerente global do WhatsApp revela fraude em eleição de Bolsonaro

Da Redação

A direção do aplicativo WhatsApp admitiu pela primeira vez que as eleições de 2018 no Brasil foram manipuladas por meio de envio ilegal em massa de mensagens pelo aplicativo. A fraude foi cometida com uso de sistemas automatizados contratados de empresas. Campanha eleitoral de Jair Bolsonaro, do PSL, se beneficiou dos chamados "disparos" de fake news que tinham como alvo principal o então candidato Fernando Haddad (PT). 

“Na eleição brasileira do ano passado houve a atuação de empresas fornecedoras de envios massivos de mensagens, que violaram nossos termos de uso para atingir um grande número de pessoas”, afirmou Ben Supple, gerente de políticas públicas e eleições globais do WhatsApp, em palestra no Festival Gabo, como informa reportagem do jornal Folha de S.Paulo. 

O TSE veda o uso de ferramentas de automatização, como os softwares de disparo em massa.

CPI das fake news

O avanço da CPI da Fake News, que tramita no Senado,  tem preocupado o governo Bolsonaro, já que as convocações seguem na direção de marqueteiros e empresários suspeitos de financiar ataques virtuais que alteraram o resultado das urnas. 

E as convocações estão cada vez mais próximas do Planalto. Rebecca Félix da Silva Ribeiro Alves, que hoje é assessora do Palácio do Planalto, foi convocada para depor. Ela trabalhou durante a campanha na casa do empresário Paulo Marinho, apoiador de Bolsonaro, que admitiu em entrevista que atuou para o disparo de informações falsas. Leia a íntegra da reportagem aqui. 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo