Nacional

A CASA CAIU 01/11/2019 13:33

Mulher de Ronnie Lessa enviou para ele planilha verdadeira que prova envolvimento de Bolsonaro

Tentativa de negar a verdade compromete ainda mais os Bolsonaro. Planilha manuscrita original foi fotografada pela mulher de Ronnie Lessa e enviada para o celular dele. Planilha entregue ao MP pode ter sido adulterada e gravações apagadas ou editadas

Da Redação

Com Brasil 247

A nutricionista Elaine Lessa, esposa do ex-policial Ronnie Lessa, que executou a ex-vereadora Marielle Franco, enviou ao celular do marido, no dia 22 de janeiro a foto da planilha original escrita à mão pelo porteiro do condomínio Vivendas da Barra (RJ), que mostra que o ex-militar Elcio Queiroz teria tido acesso ao local por permissão do “Seu Jair”, da casa 58 – de propriedade de Jair Bolsonaro.

Dois dias depois de receber a imagem da planilha, Lessa e Queiroz foram ouvidos na Delegacia de Homicídios sobre o assassinato de Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes. Os dois ainda estavam soltos e eram investigados.

De acordo com reportagem da Folha de S.Paulo publicada na quinta-feira (31), a planilha foi alvo da investigação somente em outubro, quando peritos acessaram dados do celular de Lessa e encontraram a foto enviada pela esposa. A imagem é diferente da planilha que o MP diz ter periciado. Com base nessa pericia, o MP-RJ se apressou em dizer que o porteiro teria mentido.

O advogado Fernando Santana, que defende Elaine Lessa, por sua vez, afirmou que sua cliente nunca foi questionada sobre a mensagem mencionada pelas promotoras que investigam o caso. Também negou que ela tenha enviado a foto ao marido.

Vale ressaltar que, no dia 7 de outubro, o síndico do condomínio Vivendas da Barra entregou à Polícia Civil arquivos com gravações do interfone da portaria de janeiro a março de 2018. Nesta mesma data, o porteiro prestou depoimento e afirmou que Élcio foi autorizado a entrar por uma pessoa da casa 58 com a voz de Jair Bolsonaro, que se identificou como “Seu Jair”. Dois dias depois, o porteiro confirmou a versão em novo depoimento.

De acordo com revelações feita pelo Jornal Nacional, porteiro do condomínio afirmou à polícia que, horas antes do assassinato, em 14 de março de 2018,  Élcio de Queiroz entrou no local e disse que iria para a casa do então deputado Jair Bolsonaro. Ele teria sido autorizado a entrar no condomínio por uma voz masculina que o porteiro entendeu ser a do próprio Jair Bolsonaro.

O ex-militar, no entanto, não foi para a casa 58, mas para a residência de Ronnie Lessa, de número 65. Ao perceber pelas imagens de videomonitoramento a mudança de direção do visitante, o porteiro ligou novamente para a casa 58 e avisou ao "Seu Jair" o que se passava e este teria respondido que sabia para onde o visitante se dirigia.

Os registros de presença da Câmara dos Deputados mostram que naquele dia o então deputado federal Jair Bolsonaro estava em Brasília, embora ele tivesse passagem marcada para o Rio. 

Depoimentos de porteiros e testemunho de moradores do Condomínio Vivendas da Barra garantem, no entanto, que o sistema de portaria funciona com ligações diretas para telefone fixo e ou celulares dos proprietários/moradores e não por interfone, o que, em tese, teria permitido que o próprio Jair Bolsonaro ou algum de seus filhos de fato tenham autorizado a entrada de Élcio Queiróz no local naquela data conforme registrado na planilha original da portaria e pelas imagens das câmeras de segurança do condomínio. 

 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo