Nacional

PANDEMIA COVID-19 12/03/2020 13:06

Governo Chinês suspeita que EUA infiltrou coronavirus em Wuhan

Uma declaração feita pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China abre novo flanco na guerra fria com os Estados Unidos

Pauta Extra/Brasil 247/G1

A origem do Corona Virus (Covid-19) pode ter sido algum laboratório secreto das forças armadas do Governo dos Estados Unidos. A suspeita não é nova, mas foi trazida novamente à tona na manhã desta quinta-feira,12, por um representante do governo da China.

O diretor-adjunto e porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lijian Zhao, sugeriu durante entrevista coletiva que militares do Exército dos Estados Unidos podem ter levado o coronavírus à cidade chinesa de Wuhan, epicentro do surto.

“Quando o paciente zero começou nos EUA? Quantas pessoas estão infectadas? Quais são os nomes dos hospitais? Pode ser o Exército norte-americano que levou a epidemia a Wuhan. Seja transparente! Torne público seus dados! Os EUA nos devem uma explicação!”, disse Zhao (vídeo abaixo).

Os questionamentos do representante do governo Chinês são fortes e vão além das desconfianças corriqueiras que permeiam as relações entre China e Estados Unidos. A mutação do virus corona que resultou no Covid-19 não guarda relação com mutações naturais, que ocorrem na natureza de forma espontânea.

Os cientistas ainda não descobriram, por exemplo, em que tipo de hospedeiro o virus se originou, o que é relativamente simples nos processos de investigação genética do patógeno.

Outro fator que amplia a suspeita de que o Covid-19 é resultado de manipulação genética em laboratório é sua alta capacidade de contaminação e resistência aos tratamentos convencionais. 

Mais de 120 mil pessoas estão infectadas no mundo em decorrência ao coronavírus, que atingiu mais de 100 países e matou mais de 4 mil pessoas.

Só a China, onde o surto teria sido detectado e revelado ao mundo, tem mais de 3 mil mortes e mais de 80 mil infectados.

GUERRA BIOLÓGICA

Quando o coronavírus começou a cruzar o Pacífico, Donald Trump estava confiante. O presidente dos Estados Unidos disse, no fim de fevereiro, que não "haveria motivo para pânico". Agora, o país já registra mais de mil casos e pelo menos 30 mortes confirmadas.


Ao todo, já são 40 estados norte-americanos com pacientes confirmados - Washington, Califórnia e Nova York já declararam situação de emergência. Para enfrentar a crise, Casa Branca e Parlamento acordaram um pacote de emergência de US$ 8 bilhões. E o coronavírus pode, inclusive, definir os rumos da eleição presidencial em novembro.

No entanto, diferente do governo chinês, que agiu rápido e descobriu o caso zero em Wuhan e o divulgou, os Estados Unidos segue frazendo segredo sobre a origem dos casos no país e se recusa a dar informações sobre pesquisas genéticas com vírus de gripe.

E nesta quarta-feira (11), a Organização Mundial de Saúde classificou a Covid-19 como uma pandemia global.


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo