Pauta Jurídica

CASO LILIAN 18/07/2018 13:21

Médico foragido tem HC negado pelo TJ do Rio de Janeiro

Acusado por homicídio doloso contra a bancária de Cuiabá, Lilian Calixto, o médico Denis César Barros Furtado teve pedido de habeas corpus negado por desembargador. Polícia oferece recompensa por informações do paradeiro dele e da mãe

Da Redação

O desembargador Luciano Rinaldi, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, negou o habeas corpus impetrado pela defesa do médico Denis Cesar Barros Furtado, 45 anos, conhecido como "Doutor Bumbum".

O pedido foi negado também para a mãe do médico, Maria de Fátima Barros, 66 anos. As decisões foram proferidas na terça-feira (17).

O médico realizou um procedimento estético na gerente de banco Lilian Calixto, 46 anos, que culminou em sua morte.

A mãe de Denis, que está com o registro de médico cassado, ajudou a realizar o procedimento, que ocorreu no último sábado (14), em um apartamento na Barra da Tijuca.

O médico e a mãe são considerados foragidos da Justiça desde o sábado (14).

Conforme a decisão, o médico, inclusive, chegou a quebrar, com o carro, a cancela do estacionamento de um shopping na Barra ao avistar uma viatura policial e fugiu do local com a mãe.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro procura por mãe e filho e está pagando R$ 1 mil por informações que levem ao paradeiro dos dois.

O caso

A bancária Lilian Calixto saiu de Cuiabá rumo ao Rio de Janeiro para fazer um procedimento estético nos glúteos com Furtado, conhecido como Dr. Bumbum. Ela foi atendida no apartamento do médico. 

Conforme investigação conduzida pela Polícia Civil do Rio, foram introduzidos aproximadamente 300 ml de PMMA (polimetilmetacrilato) na bancária.

O produto é um polímero em forma de gel usado para preenchimento de partes do corpo. O PMMA não é recomendado para procedimentos estéticos.

Após o procedimento, Lilian passou mal e foi levada em estado grave pelo médico para o Hospital Barra D’Or.

Lá foram realizados procedimentos para recuperação de Lilian, no entanto, ela acabou morrendo na madrugada do domingo (15).

A Delegacia de Polícia da Barra da Tijuca apura o crime. 

(Fonte:Midiajur)


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo