Pauta Jurídica

CASO LILIAN CALIXTO 19/07/2018 14:09

"Dr.Bumbum" e a mãe são presos e CRM cassa registro do médico

>Denis Cesar Barros Furtado, o Doutor Bumbum, e à mãe dele, Maria de Fátima Barros Furtado foram presos em um centro comercial do Rio de Janeiro e médico teve registro cassado pelo CRM/DF

Da Redação

A Polícia Militar pôs fim na tarde desta quinta-feira (19) à caçada ao médico Denis Cesar Barros Furtado, o Doutor Bumbum, e à mãe dele, Maria de Fátima Barros Furtado, ao prender a dupla no Centro Comercial Barra Space Center, na avenida das Américas, na Barra da Tijuca. O centro comercial fica a sete quilômetros da casa onde eles moram também na Barra, conforme o jornal Extra.

Doutor Bumbum e a mãe são suspeitos de ter causado a morte da bancária Liliam Calixto, de 46 anos, durante um procedimento realizado no apartamento do médico, no domingo. Lilian passou mal e foi deixada em um hospital, onde morreu horas depois.

Além da mãe e do filho, já esta presa a namorada de Dr. Bumbum, Renata Fernandes Cirne, de 19 anos, que trabalhava como secretária da clínica de Denis e participou do procedimento na bancária. Ela foi presa logo depois de abandonar a vítima no hospital e transferida na quarta-feira (18) para o presídio de Benfica.

De acordo com a Polícia Civil, Doutor Bumbum e a mãe já tinham negociado a apresentação para às 16h de hoje, mas foram presos antes com ajuda do Disque-Denúncia. Eles serão encaminhado para o mesmo presídio que Renata.

Nesta quinta-feira, o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) cassou o registro do médico em um processo ético-profissional. A decisão ainda deve ser submetida ao Conselho Federal de Medicina (CRM), e cabe recurso.

Renata foi presa no domingo, Rosilane responde em liberdade e Denis estava foragido (Divulgação/Polícia Civil)
Em março de 2016, o “Doutor Bumbum” foi alvo de uma interdição cautelar para o exercício da profissão, a qual foi suspensa três meses depois pela Justiça. O CRM-DF informou que o processo é sigiloso e não deu detalhes sobre o caso. O médico também tem registro profissional no CRM de Goiás.

Vídeo
No Instagram, o médico compartilhou um vídeo em que fala sobre o caso. Ele disse que tudo não passou de uma fatalidade. As imagens foram divulgadas depois da prisão dele. “Boa tarde. Como todo mundo sabe, aconteceu uma fatalidade. Mas uma fatalidade que acontece com qualquer médico. Uma paciente minha, após um procedimento de bioplastia de glúteo que eu já realizei 9 mil, ela saiu do consultório muito bem, e umas 6 horas após, ela chegou ao óbito algumas horas após, com parada cardíaca”, diz em um trecho.

“É um mistério ainda a causa da morte, mas é uma injustiça o que estão falando de mim na televisão. É uma injustiça me acusarem de não ser médico. Eu tenho CRM antigo. É uma injustiça dizerem que o procedimento não é habilitado”, completa.


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo